Tristes, porém alegres

Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. (1Pe 1.5)

O título pode sugerir que este seja mais um texto que se refere à desclassificação do Brasil, mas não vou passar perto do assunto. Vamos continuar a refletir na fé cristã em suas origens, ouvir o que Pedro, que andou com o Senhor, tem a nos dizer hoje.

Pedro chama o povo de Deus de ‘peregrino’ (1), pois o fim de sua vida não é aqui. Ele fala da misericórdia de Deus que nos deu uma nova vida e garantiu-nos herança eterna (2-3). A salvação e a certeza da salvação em Cristo nos dão motivo para nos alegrarmos e exultarmos com o tão grande privilégio promovido pela misericórdia, bondade, graça, compaixão, generosidade e amor de Deus. O verbo ‘exultar’ descreve alegria espiritual profunda. Foi empregado para descrever a alegria de Maria pela notícia de que por ela o Salvador viria ao mundo, e a alegria do carcereiro de Filipo pela salvação. Mesmo na ocasião da conversão, sem aprofundamento doutrinário, a experiência do carcereiro se repete em conversões acompanhadas de grande alívio pelo perdão das culpas, pelo restabelecimento da comunhão com Deus, e pela certeza do amor de Deus.

Entretanto, essa profunda alegria alcançada com a conversão, não exclui a possibilidade de sofrimento. Enquanto um cristão estiver nessa vida, ele pode viver experiências amargas, pois andar com Cristo significa andar em oposição a este mundo, sua agenda e seus valores. Por esta razão podemos sofrer nestes dias de nossas vidas, como os cristão do tempo de Pedro viviam por conta da perseguição popular promovida por Nero, que transferiu sua culpa por ter incendiado Roma, aos cristãos, que foram crucificados, dados às feras para serem mortos e devorados, e queimados em Roma.

O que aconteceu em Roma era uma advertências a todos os cristãos espalhados no Império. Pedro não lhes comunica um otimismo cego, que nada lhes aconteceria, que daria tudo certo, ou que deveriam ser positivos. Não, ele deixou claro que é uma possibilidade para todos do povo de Deus passar por perseguições, mas que a alegria da salvação eterna deve superar em qualidade e quantidade de vida.

Nestes dias lemos sobre irmão em Cristo que moram na Síria, em regiões que têm sido dominadas por grupos islâmicos mais radicais (ISIS), que têm crucificado cristãos, e assassinado mulheres cristãs grávidas. Essa realidade os faz sofrer, e nos entristece, e deve nos levar a orar por nossos irmãos na Siria hoje. Entretanto, por menos que gostemos e que eles estejam sofrendo, precisamos nos alegrar com o fato de que o Senhor prometeu guardar suas almas, seus tesouros, e o que eles perdem aqui por causa do nome de Cristo, serão devidamente e generosamente retribuídos.

 

Por Fernando Leite

www.todahelohim.com

Posted on 6 de janeiro de 2015 in Sem categoria

Share the Story

Back to Top